O Sebo Eros

É uma imensa satisfação dizermos que estamos no mercado há seis anos, no centro de São José dos Campos, e também relatar que trabalhar com livros é muito bom e gratificante para quem está todos os dias envolvido no meio de tantos conceitos e idéias.
Trabalhamos da melhor maneira possível para darmos total satisfação aos nossos clientes, visando buscar em nós em primeiro lugar o aprimoramento de novas leituras para que alcancemos êxito em atendê-los.
Fazemos encomendas de livros novos em geral, didáticos e de todos os gêneros.
No Sebo Eros você também encontra obras primas de vários autores consagrados da literatura brasileira e mundial. Também é possível descobrir livros com dedicatórias, edições esgotadas ou primeiros exemplares de importantes volumes. Aqui, nesse “fantástico” espaço de cheiro bastante particular e com corredores estreitos, é o ponto de encontro de intelectuais e pesquisadores, alfarrabistas (colecionadores de livros antigos e raros), bibliógrafos, estudantes e também os apaixonados pelos próprios sebos.
O bom atendimento, a possibilidade da pechincha e de encontrar obras raras no mercado convencional são qualidades que fazem com que o Sebo Eros seja tão procurado, sem distinção de classe social.

Uma pequena história sobre sebos e seu surgimento

O lugar onde se vendem livros é conhecido como livraria, e isso todos sabem, mas o nome do lugar onde se vendem livros usados é um pouco diferente: Sebo.
O nome Sebo vem do tem pó em que não havia energia elétrica e as pessoas liam à luz de velas amarelentas, sujando e engordurando os livros. O contato com as velas deixava o livro todo engordurado, ensebado, sebento, termo que evoluiu a Sebo. No Brasil, “sebo” tornou-se a forma vulgarizada de designar a livraria onde se vendem livros usados e raros, conforme consta no livro “Guia dos Sebos do Brasil”, de Jorge Brito, e no minidicionário “Aurélio”.
Na obra de Brito, o autor revela que os primeiros sebos surgiram na Europa em meados do século 16, quando os mercadores e pesquisadores de papiros vendiam documentos importantes da época. O historiador Leonardo Dantas Silva conta que estes mascates eram chamados de alfarrabistas (alfarrábio significa livro velho e raro), nome que os acompanha até hoje em países como a França e Bélgica, em que a atividade dos sebistas é considerada essencial para historiadores e pesquisadores em geral.
Num sebo você encontra edições fora de catálogo, livros raros, até lançamentos usados a preços baixos. Mais que uma loja, é um lugar de oportunidades.